quinta-feira, 9 de julho de 2015

MÚSICA E APRECIAÇÃO - 9º ANO


APRECIAÇÃO EM 6 MOVIMENTOS

1º MOVIMENTO: Qual é o cenário?

  • Executar a faixa 18, Cenário das águas (CD Educação em Arte: música, v. 1), e propor aos alunos que identifiquem os sons, os lugares, trechos rítmicos que se repetem, sensações despertadas:
  • Fazer o registro de tudo.

2º MOVIMENTO: Quais sons de instrumentos podemos ouvir na gravação?


  • Executar a faixa 19, Cenário das Águas (trecho da música, com um grupo musical criando um cenário musical, em que aparece uma marcação rítmica com metrônomo, depois entram instrumentos fazendo a base rítmica e harmônica).
  • Analisar e registrar os nomes dos instrumentos musicais apreciados e se perceberam o som do metrônomo
  • Definição de metrônomo: https://pt.wikipedia.org/wiki/Metr%C3%B4nomo
Metrônomo manual

Metrônomo eletrônico







3º MOVIMENTO: Qual é a música?

Durante a construção de sua casa em Poço Fundo, Tom Jobim quis alterar o projeto, para que o pé-direito do piso térreo pudesse ser mais alto. Isso gerou um problema, pois o arquiteto e projetista teve que refazer os cálculos e o projeto. Com isso, a obra atrasou e a casa não ficou pronta no mês de fevereiro, antes do início das chuvas de março. Jobim acompanhava no local, quase todos os dias, o passo a passo da construção , muitas vezes interrompida pelas chuvas de março.Foi nesse cenário do som das águas, dos problemas, da espera, da angústia repetitiva, que Tom, segundo ele próprio, foi anotado em um "papel de pão" (um papel comum que embrulhava os pães comprados nas padarias, antes dos atuais saquinhos), rabiscando, reescrevendo, procurando sons, ritmo, harmonia e palavras. Nesse manuscrito, é possível perceber os versos escritos, com adendos, substituições, palavras ou frases inteiras desprezadas, superpostas... Assim nasceu Águas de março.

Segundo Tom Jobim, essa é uma obra singela e simples. Mas é muito complexa pela variação harmônica para poucas notas, pelo ritmo contínuo da chuva, pela letra que descreve o movimento das águas morro abaixo, levando pau e pedra. O pouco sol que brilha no vidro molhado, a noite que chega sem a chuva ir embora. A conversa à beira do rio, a pescaria, a espera, em meio às imagens das árvores, do toco, do nó da madeira. O canto do pássaro matita-perê, do vento, do tamanho da ribanceira. As vigas da casa, a imagem do vão, a espera da festa da cumeeira (quando se termina o telhado, se festeja com um barril de chope). Tudo pelo projeto da casa, da promessa da vida no coração.

Matita-perê
*Como estudioso da literatura brasileira e universal, Tom foi buscar o título Águas de março no poema O caçador de esmeraldas, de Olavo Bilac:


  • Estudar as semelhanças entre as paisagens sonoras de Águas de março e O caçador de esmeraldas;
  • Relacionar todos os elementos das paisagens sonoras, após a leitura dos dois textos e criar uma lista em cartolina, estabelecendo as semelhanças e diferenças.
4º MOVIMENTO: Como o autor executa e interpreta sua criação?


  • No vídeo, Tom Jobim e a cantora Elis Regina interpretam a canção, durante as gravações do disco Tom e Elis, em um estúdio em Los Angeles (1974)
  • Durante a escuta da música, sugerir aos alunos que observem a desconstrução da letra que Tom e Elis fazem na parte final do vídeo, quando cantam somente o final das palavras: au / edra / im / inho / esto / oco / ouco / inho / aco / idro / ida / ol / oite / orte / aço / zol.
  • Essa desconstrução é feita num tom de brincadeira. É visível para o espectador o quanto os intérpretes se divertem nesse momento. Registre.
  • Vídeo: 

Águas de Março - Tom Jobim e Elis Regina


5º MOVIMENTO: Ouvir, aprender e cantar

  • Com a letra da música em mãos, propor aos alunos que escutem a faixa 20 (CD Educação em Arte: música, v.1), que é o arranjo completo da música, com a melodia tocada na flauta transversal. Depois, acompanhados do playback gravado na faixa 21, proponha que os alunos cantem a melodia. 
  • Exercitar em forma de coral de duas vozes seria interessante.

6º MOVIMENTO: Investigar processos de criação

  • Coleta sensorial: O que Tom Jobim coletou sensorialmente no acompanhamento da construção de sua casa?
  • "Aquele que está envolvido em um processo criador está de tal modo comprometido com as obras em construção que se coloca em condições propícias para encontros dessa natureza." (Cecília Almeida Salles)

  • Anotações: No "papel de pão", em cadernos estruturados ou em suportes digitais de escrita, os artistas fazem anotações que guardam ideias que poderão ser criadas. Por que essas anotações são importantes?
  • Elas são importantes tanto para os criadores, pois são a memória de processos e sementeira para novas produções, como para os pesquisadores, que, assim, podem compreender melhor os processos de criação dos artistas. 

  • Repertório pessoal e cultural: O que se pode perceber como repertórios pessoal e cultural de Tom Jobim? O que na letra da música estudada, não estava em seus repertórios pessoal e cultural?
  • A referência ao poeta Bilac no título Águas de março, revela a riqueza cultural de Tom Jobim. É possível perceber que os repertórios pessoal e cultural estão sempre presentes em qualquer criação de qualquer artista.


  • Faça o registro dessas questões, com respostas pessoais.







Um comentário: